3.11.07

VIDA DE MERDA

TEXTO RETIRADO

47 comentários:

Sophiamar disse...

Vida de merda/ merda de vida!!!
Para uns tão boa, para outros tão dura, tão cruel...
Nem imaginas quanto me custou ler aquela mensagem a vermelho no fim deste post!Apaziguei-me um pouco quando reli a palavra "possivelmente" pelo que de esperança contém. Ando entristecida por alguns acontecimentos dos últimos dias e que nem ocorreram directamente comigo. Mas se me atingem um amigo é a mim que estão a atingir também. Quanto ao teu post ( vê lá se consegues continuar a ir deixando um de vez em quando asssim como o email que de início aparecia, segundo creio)emocionou-me muito. Em menina , havia aqui em Faro um hospital psiquiátrico e passar junto dele, quando íamos apanhar o comboio para Lisboa, era para mim algo que muito me angustiava. Aqueles olhares vítreos, petrificados, a olhar oo nada ou um conjunto disforme,os gritos lancinantes, os movimentos descoordenaddos deixavam-me de tal maneira atormentada que ainda hoje, quando me lembro, as lágrimas assomam e insistem em sair.
Bonito post ,embora doloroso, mostra uma realidade que hoje está distante. Estes pacientes , controlados, encontram-se num meio memos agressivo, mais integrador, mesnos discriminatório...
Beijinhos, mano doce, que queres fugir dos amigos....
Tem um bom fim de semana!

Gata Verde disse...

Um dos ultimos porquê?
A vida não é fácil,e tu deves saber melhor do que eu porque ao que parece és um pouco mais velho. Desistir de escrever é como deixar de viver...

Beijo

Maria disse...

Sei do que falas.
E que dizer de um Centro de tratamento ao alcoolismo metido no meio do Hospital Júlio de Matos?
Quero esquecer.
Merda de vida!

Um beijo, Cusco
(e espero que não seja o último post...)

Lyra disse...

A intensidade que vertes neste relato doloroso, transporta-nos contigo para esse imenso e branco corredor... do qual só apetece fugir, porque a realidade que traduz parece dura demais para enfrentar.
Mas assim é a vida... por vezes mãe, por vezes madrasta.
Cusquinho... a ti um pedido, q vale o q vale, mas q não poderia deixar de fazer... que muitos outros textos se sigam a este. Não deixes de partilhar este dom.
Um beijinho com ternura

Um Momento disse...

Parei durante algum tempo como que hipnótizada com o teu texto. Como se o estivesse a viver...
Sei exactamente o que sentis-te, pois também eu já passei por tal...
Mas a vida é assim... ora nos sorri, ora nos atraiçoa...
Sabes...apetece-me abraçar-te...

E agora...
Espero de coração que não deixes de escrever...
Deixo um beijo bem abraçado a ti

(*)

Girassol disse...

Texto arrepiante, profundo, cheio de significados... às vezes vivemos tão allheados de tudo e todos, será que é para esquecer a vida de merda?

Um beijo.

irneh disse...

Porquê? Porque será um dos teus últimos textos? Gosto de te ler. Quanto ao resto a vida é mesmo uma merda. Das grandes. Só que, de quando em vez, suportamos o cheiro...

Beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

Escreves duma forma que por vezes se torna difícil perceber onde começa a imaginação e onde começa a realidade, mas a beleza da tua prosa está aí mesmo. Por respeito a isso, hoje nem vou protestar relativamente à tua insinuação de que os rafeiros cheiram estranhamente. Um abraço, Cusco, e não te vás embora assim tão facilmente, pessoas como tu fazem falta neste meio.

Eva Luna disse...

beijinho doce!

Sophiamar disse...

Passei para te deixar beijinhos e pedir-te que repenses aquele "alerta" a vermelho no fim do post. Já há tantos amigos , cuja partida, por motivos vários, me deixou a sofrer.

Perder um amigo, ainda que virtual, é perder uma parte de nós.

Beijinhossss

Betty Branco Martins disse...

Querido Cusco

__________o teu desabafo perante a vida cruel.que.nada.mais.é.que.vida.de.merda!!!

Sente-se as tuas palavras

Lamento que vás deixar este teu "cantinho" vou ficar com saudades:((

Beijinhos com carinho
BS

jomaolme disse...

É uma pena e um pecado que deixes de publicar aqui esses teus fantásticos textos. Lá terás as tuas razões...este foi sem duvida dos que mais gostei.

Beijokas

Mikas disse...

Estou numa dessas fases...

Carminda Pinho disse...

Cusco,
penso que é a primeira vez que aqui entro.
Li e reli aquilo que escreveste e, o nó ainda cá está.
Se a decisão está tomada, a de deixares o blog, quem sou eu para te dizer que não o faças. Eu que ando por aqui há algum tempo e, só hoje te visitei.
Gostava que ficasses.:)
Um Beijo

Kalinka disse...

AMIGO CUSCO
pensa...repensa...reflecte!
Vê se é mesmo muito necessário que te vás...
Logo agora que estive tão perto de ti, e não tive a oportunidade de te conhecer!!!

Ando angustiada pela falta de tempo que tenho tido nos ultimos 10 dias; fui de férias(em passeio) 3 dias ao Algarve e 4 dias até ao Norte...e, assim tenho estado ausente.

Beijitos.

foryou disse...

Pois... este mundo muitas vezes não é lá grande coisa no que toca a justiça.


Um dos últimos textos????????? mau mau

o_cao_que_morde disse...

O Blog O Cão Que Morde fez uma Petição para a obrigação da esterilização de todos os animais de companhia que não pertencem a criadores autorizados.
Assina e ajuda a divulgar esta iniciativa para resolver o problema dos animais abandonados

Anónimo disse...

Este será possívelmente um dos teus melhores textos...

Sophiamar disse...

Estremeci. Um arrepio percorreu-me o corpo e mil gotinhas ameaçam cair no teclado.
Sabes como me sinto neste momento em que, inesperadamente, te reencontrei irmão. Noutro sítio que não o do costume. Mas cheira a flores. És tu quem aqui está.Fiquei pasmada!Incrédula! Só mesmo um mano! Um presentinho feito com amizade. Tenho a certeza. Neste momento, com partida anunciada, recordo estes meses e não gostaria de te ver partir. Eu, que um dia, estive contigo. Um ano inteiro estivemos juntos. Tu menino/ menino eu senhora/menina e olhava-te com ternura. Muita! Tanta quanta me mereces hoje. Tanta quanta te tenho.Tenho frio, muito. Há por aqui um vazio que quase me faz deflagar o coração em mil estilhaços. Não partas, Cusco! Quero voltar a encontrar-te. Por aqui. Por aí.Esta amizade não pode tornar-se poeira. Não deixarei!
Aguarda-me, amigo!
Comovida, agradecida, peço-te: não partas, Cusco! Não me deixes, irmão!
Beijinhosssss

Gata Verde disse...

Espero que hoje já digas: "Rica Vida"...

beijinhos

Anónimo disse...

Cusco familiar,
Vida de merda ou merda de vida

Anónimo disse...

Cusco familiar,
vida de merda ou merda de vida é apenas uma expressão de um momento mau,de resto a vida é sempre bela.No filme,num campo de concentração,no caso num manicómio algures.A "vida de merda" dum loucosó é de merda segundo o nosso ponto de vista da normalidade,ou seja face ao nosso preconceito de saudável.Do ponto de vista do louco,porque a sua vida é a sua vida interior,para si a sua vida é igualmente bela.Quém nos garante que um louco é menos feliz que um não louco?E por acaso a nossa vida frenética de hoje não é já uma forma de loucura?
Portanto nada de desânimos que são sempre passageiros,somos humanos mas pertencemos à Natureza e esta é imparcial e nela tudo tem sentido.
Não vale,para quem ficciona e conta tão bem histórias,fechar o blog com um texto amargo sobre a loucura ,mas antes continuar com hinos ao amor à vida.
Espero brevemente dar notícias do pau.
Um abraço do conterrâneo José Neves.

amigona avó e a neta princesa disse...

UM texto belíssimo...

Quando um amigo nos deixa por opção própria é muito difícil de entender e aceitar...

Se consegues ficar sem a nossa amizade vai...ficarás na saudade...se continuarmos a ser importantes para ti, fica...gostamos de ti...gostamos de te ler...não nos deixes...por favor...beijo...

Sophiamar disse...

Voltei! Bom dia, mano! Sei, disseste, que farás mais dois posts. Um sobre a Cusquinha e outro sobre o teu sobrinho. Fá-los mas não esqueças o pedido que te fiz.
Deixo-te beijinhos com esperança...de que não te afastes de nós.
Tem um bom dia!

Chahy disse...

MERDA!!! Nem pensar nisso é bom, Cusco, não podes deixar de escrever, os teus textos são luz para a escuridão da monotonia de nos queima, fazem sonhar. Acredita, leio-te ao muito mais tempo do que pensas, muito para lá do horizonte. Volta à Estrada.

augustoM disse...

Simplesmente bonito! Da vida de merda não vou falar, mas dos loucos. Quem são os verdadeiros loucos, eles por não se comportarem como nós, ou nós por não termos a coragem de nos comportarmos como eles?
Um abraço. Augusto

Um Momento disse...

Passo, olho, sento um pouco...
Sopro um beijo...
Levanto e ...
Até já

(*)

incs disse...

Porque as palavras são sempre demais...Porque nunca dizem tudo o que nos atormenta e aquece...Porque fazem muito barulho...Mas sem elas seriamos restos do vazio que nos esforçamos por preencher...

Não desistas.

até sempre

Jasmim disse...

A vida é memso assim "Les un et les outres".
Felicidades

António disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
António disse...

Meu caro!
Mais um texto escrito ao teu estilo metafórico, perturbador, violento nas imagens que nos transmites de um hospital psiquiátrico.
Como habitualmente, superiormente escrito.
Parabéns pela escrita e pela criatividade!
Também eu estou a pensar, não em deixar totalmente de escrever no blog, mas em passar a fazê-lo de forma ocasional.
Ao fim de 2 anos e 9 meses é tempo de mudar de rumo.
Isto dos blogs já começa a dizer-me muito pouco...

Um abraço

margusta disse...

Amigo Cusco,
...agora venho só deixar-te um beijinho...
Percebi que tencionas voar deste cantinho...sobre isso e para ler o texto volto mais tarde...

Jasmim disse...

Bolero de Ravel uma das músicas que mais ouço. les un et les outres, um dos meus filmes preferidos...
Visita
http://outono-desconhecido.blogspot.com/
Volta em breve...

Bichodeconta disse...

Pois eu vou voltar aqui, merda de vida, estamos todos de acordo, mas vou voltar.. E espero encontrar nova postagem.. A vida continuará a ser uma merda... Só temos esta, eu quero gritar , para que todos consigam ouvir este grito de revolta..A vida é uma merda.. mas parar de escrever é ceder.. e acho que já provou não ser pessoa para desistir..um abraço muito grande..Voltareii.

Baby disse...

Cusco, por favor não termines, menos ainda com um texto de um dramatismo tão intenso, tu que escreves coisas que trazem à tona as tuas e nossas memórias esquecidas, em que sempre existe um laivo de ternura e de saudade.
Fica.
Beijo.

Rosa disse...

Oh... Não vás embora...

Laura disse...

Ó menino, quando li as palavras do fim sobre rafeiro, ehhh lembrei-me do meu amigo rafeirinho e vá que ele também reparou e nem se zangou ehhhhh.
Queres fazer o favor de dizer porque pode ser o último post? depois de habituar o pessoal a ver as tuas crónicas, as belas prosas a poesia, sais de cena? não me parece! Nem tentes ó rapaz, nem tentes!...

Sophiamar disse...

E por aqui vou passando para te deixar beijinhos, a minha amizade e um abraço.
Já te pedi o email várias vezes. Será que vou ficar sem ele?

Bom fim de semana!

Alexandre disse...

Espero que continues a cuscar ainda por muito tempo!!!!

amigona avó e a neta princesa disse...

Hoje deixei-te um apelo no meu cantinho...não te zangues comigo...beijo...

Laura disse...

Cusco, a explicadura já lá está, com honras de primeira página...
Abraço a ti e como gosto muito de ti, embora não passe a vida a bater-te à porta!...
Beijinho e good luck for ever...
surda mas não burra ehhhhhhh...

Papelucho disse...

no te vai po. que la vida es una mierda bien cagada.

Papelucho disse...

no te vai po. que la vida es una mierda bien cagada.

Pascoalita disse...

Já tinha lido este texto na diagonal, como agora se usa dizer (nunca entendi mto bem como se lê assim, mas a gente quase inconscientemrnte aca aderindo às modernices eheheh), mas hoje vim ler com olhos de ver... calma e pausadamente.

Mais um belíssimo texto! Uma excelente forma de descrever aquilo que não passa mesmo duma "merda de vida!" eheheheh

Fico no entanto apreensiva com a "nota em rodapé" porquê? Se me é permitido questionar

Papelucho disse...

choasesinouna barca es la vida dijo calderon de la mierda

amigona avó e a neta princesa disse...

Vim deixar um abraço...aproveitei e reli oteu texto que (mais uma vez) me encantou...

Anónimo disse...

Claro me amam muito por dinheiro
E só falta me deitarem para o lixo
Ouçam se me querem ajudar ponham logo o meu corpo num caixão de oiro
Ou façam de conta que não leram isto
Bem preciso de afecto mas foda-se está tanto frio
Claro é nascer sem amor é viver sem amor e morrer sem amor
A vida é uma droga
Quem me dera não ter nascido
Não queiram saber da minha dor
Mete respeito e doi muito no coração
Lamento ser descriminado por uns pretos sem coração
Eu sei que sou branco e eles racistas como a merda
É a vida que só tem carne do Diabo
A vida não presta para nada