21.10.07

SORRISO DE LEITE BRANCO

TEXTO RETIRADO

25 comentários:

Pascoalita disse...

Aproveitei o facto de o ver no cantinho da laura e vim directa, só para deixar um hellho.

Há tempo demais que não me delicio com estes escritos e hoje o dia foi tão stressante que não deu sequer para ler este texto.
Tentarei "esticar o tempo" e voltar. Entretanto, deixo um beijinho e votos de bom final de semana

Pascoalita disse...

Voltei para dizer que ontem me lembrei deste Blog, ou melhor do seu autor!

Nas minhas passeatas de hora de almoço, passei por um Quiosque cheio onde um senhor idoso vende ivros usados, alguns bem antigos.
Logo no primeiro monte lá estavam 2 exemplares de "Guerra e Paz" ... o livro que se não estou em erro há uns meses atrás disse ser difícil de encontrar.
Não questionei sobre o preço, mas nada me custaria adquiri-lo e enviar-lho se fosse necessário.
1 beijo

António disse...

Meu caro!
Mais um texto metafórico, perturbador, violento nas imagens que nos sugeres e que nem o sorriso ou o leite branco conseguem disfarçar.
Como habitualmente, superiormente escrito.
Parabéns pela escrita e pela criatividade!

Um abraço

Sophiamar disse...

Comento-te amanhã,querido mano. Estou a morrer de sono e só agora te detectei.

Beijinhosssss

Odele Souza disse...

Intrigante, instigante.Pensante....
Como tudo que vem de ti.
Fique com meu carinho.

Dulce disse...

Bem, nem sei que dizer. Perdi completamente o fôlego neste teu texto. Um ritmo calculado e belo que sorvemos em goles cada vez maiores, cada vez mais rápidos.
Um texto que acho necessário ler mais que uma vez para lhe apreender o entrelaçado das ideias. E com tudo isto ainda não disse tudo!! Nem digo!Está lindíssimo. Um abraço grande e um bom fim de semana

Maria disse...

Um post soberbo.....
Tens uma escrita especial, Cusco....

Bom fim-de-semana
Abraço

Sophiamar disse...

Tens uma escrita especial, Cusco!- diz a Maria.
Tu és especial, Cusco!- digo eu.Tu absorves o mundo que te rodeia com a sensibilidade da terra onde viste a luz do dia,onde foste crescendo com gente especial à tua volta e que te proporcionou o conhecimento de outros mundos, outros seres, outros sentires...
e não foste insensível às vistas que essas portas abertas te proporcionaram. Daí, a tua sensibilidade, a tua capacidade de amar o mundo e os outros, fizeram de ti este menino grande de calções, joelhos feridos,sorriso bonito de menino de bem com a vida que conta de forma sublime a gente trabalhadora da sua terra.Gente que oferece sorrisos de leite, embora o cansaço já se tenha apoderado das suas pernas que arqueadas continuam a querer calcorrear caminhos onde há meninos que são os raios de sol dos seus dias. A santa casa,o lar, o centro de dia são o destino de todos nós mas tenhamos lá sorrisos que o sol , o céu e o verde do arvoredo dos campos continuará igual ao que sempre foi.

Beijinhos meu querido mano.
tem um bom fim de semana!

amigona avó e a neta princesa disse...

Meu querido amigo obrigada pelo texto! Li-o de um fôlego! Depois reli para melhor saborear!
Tem a ver comigo,com aqueles que lá tenho no Centro de Dia e no lar...a quem eu gostaria tanto de distribuir a todos os momentos muitos sorrisos de sol!!!Beijo e bom domingo..

Gata Verde disse...

Excelente texto!

Um bom fds

Papelucho disse...

no comprendiendo un carajo.

mjf disse...

Um texto muito bem escrito e cheio de sensibilidade...Bastante realista (quiçá... triste?)
Bom fim de semana

Rafeiro Perfumado disse...

Ora aí está alguém que podia ser usado para uma campanha anti-tabágica. "Estão a ver, meninos, que compensa não fumar? Olhem só para a brancura destes dentes!"

Um abraço, Cusco, texto delicioso.

poca disse...

a questão do envelhecer.. e da possibilidade de esperar pelos dias que passam iguais a todos os outros num lar.. é coisa que me embrulha o estômago..

faz-me pensar que não deixa de ser injusto envelhecer..

Carminda Pinho disse...

Memória de Elefante, um grande livro do nosso A. Lobo Antunes.
Vou ter que o reler um destes dias.
Obrigada pela visita.
Voltarei com mais tempo.
Beijos

foryou disse...

Pode ser impressão minha ou má interpretação mas a verdade é que este teu texto me trouxe tantas imagens, associei-o a tantos factos...

Baby disse...

Escritos a linha de seda,leves e soltos, mas ficam gravados a ferro e fogo na alma de quem os lê.
És uma muito especial.

augustoM disse...

"E a alma, curvada pelos dias, vergada pelo branco dos não sorrisos e das brincadeiras sem graça dos meninos sem graça pensando em serem adultos sem sonhos, desfeitos pelo ferro de engomar que engomava os sonhos só de um lado e os derramava para serem vendidos como sonhos não sonhados por meninos não meninos."
Parabéns.
Um abraço. Augusto

Sophiamar disse...

Olá mano Cusco!

Tinha tantas saudades tuas! Desculpa só este desabafo,do qual não quero comentários: há tanta maldade por aí! Somos tão imperfeitas!
O Florentino vai à pesca muitas vezes e,creio mesmo, que pouco dinheiro gasta em peixe. Trá-lo fresquinho ao fim de semana, sempre que pode.
A primeira vez que comeu morangos foi num piquenique comigo. Já lá vão tantos anos!Disse-mo ele e eu nem o suspeitei, nunca.
Hoje vou colocar um novo post. Depois perceberás o meu desabafo.
Beijinhos

Sophiamar disse...

Recuei! Afinal para quê azedar a vida se deste tempêro já tem que chegue.
Viva a AMIZADE!

Tenho tantos amigos e até um mano que me traz o cheiro da terra da nossa gente até Faro.

Obrigada, Deus Meu!

Mil beijinhos

Vb disse...

Algures...no Algarve!

Eva Luna disse...

Cusco, passei para agradecer a tua visita e fiquei fã! Como estou no trabalho, não estou a prestar a atenção devida, mas prometo que logo, em casa voltarei para te ler com outros olhos!

Eva Luna disse...

hummmm lnkei-te!

Isabel disse...

Sem palavras para te dizer, escrever, falar.
Se estivesses á minha fente sorria-te apenas e deixava-te ver a lágrima no canto do meu olho.
Somos feitos da mesma fibra tu e eu, a vida,o mundo, os mundo, os seres, as coisas,tudo, tudo se nos cola ao corpo e nos entra por todos os poros, pelo olhar, pelo nariz , pela boca por todo lado e vai direitinho apertar o coração e remexer-nos na alma.
Tudo entra e nós deixamos, porque sabemos que fomos feitos para deixar entrar até transbordar de todas as formas incluindo o transbordar em palavras que os nosos dedos escrvem mas veem de muito, muito fundo.
As tuas Viagens e os meus Estados de alma querem dizer a mesma coisa.

Um abraço

Isabel

Rosa disse...

Uau..