10.10.07

O SONO

TEXTO RETIRADO

39 comentários:

o_cao_que_morde disse...

Hoje dia 4 de Outubro dia dos animais, o meu Blog está de luto pelos maus tratos em animais, nomeadamente experiências laboratoriais, touradas, maus tratos nos circos, abandono, etc.
Põe tu também hoje o teu blog de luto.

APC disse...

É mesmo um instantinho, esta vida! :-)
Bonita história, num belo cenário!
Um abraço.

mjf disse...

Olá! Cusco.
A vida é assim... Passa rápido,por isso é para aproveitar cada, instante ,como se fosse o ultimo...
Obrigada pela sua visita
Bom fim de semana

Carracinha linda! disse...

A vida é tão curta, não é? E na realidade já passamos tanto tempo a dormir...não podemos é "fechar os olhos" para a vida. Viver cada minuto...senti-lo intensamente.

Beijinhos e bom fim-de-semana!

Sophiamar disse...

Querido mano, Cusco!
E a vida passa a correr.Mal damos pelo dia começar já tudo está a terminar. E pior do que isso é que os garotos dizem o mesmo. O Verão passou a correr, o Natal está à porta, não tarda temos aí a Primavera.
Um texto lindíssimo em que a vida de pessoas de gerações diferentes decorre entre sonos.Um recurso que costumas utilizar e que eu encontro em autores conhecidos. Por vezes tenho de reler,mais do que uma vez, para me situar no tempo. Mas isso acontece com outros textos dos tais autores. Tu tens de escrever um livro! Já te disse e repito-o até à exaustão. Se preciso for peço ao Amílcar, professor do meu filho, há uns anos e teu também.
Belíssimo, querido mano. Bom fim de semana!
Beijinhossssss

António disse...

Meu caro!
Um texto ora metafórico, ora perturbador, ora pleno de "non-sense".
E, sobretudo, superiormente escrito.
Parabéns pela escrita e pela criatividade!

Abraço

Palavras ao vento disse...

Mais um bom momento de boa leitura...

Gosto de aqui vir... onde a criatividade do autor e a qualidade da escrita impera!

Parabens meu amigo.

Beijos da

Maria

margusta disse...

Amigo Cusco,
...hoje passo só para te deixar um beijinho e desejar um resto de bom fim de semana!

legivel disse...

... uma história como eu gosto! (Re)creativa e com final a condizer.
Parabéns.

Abraço e óptimo fim de semana.

Jonice disse...

Que delícia de ler!
Que maravilha de metáfora!
Carpe diem...
Beijinho, Cusco :)

Lia disse...

Por vezes passamos pela vida meio adormecidos, mas ainda há quem consiga acordar antes de ser tarde demais...

Um texto sublime, parabéns...

Um beijo

Papelucho disse...

como se llama la carcel ? esa de los ttauajesbacanes? camborou?

Cristina disse...

É por isso, urgente, dar importância aos pequenos momentos. Quando menos esperamos, já passaram 24 anos.

Um beijo e boa semana.

Vladimir disse...

A vida passa a uma velocidade estonteante, só quando paramos é que tomamos consciência do facto...

Chahy disse...

Fecha-se os olhos, e perde-se um instante de vida, dorme-se a sesta, e perde-se metade da vida, exagerado, sem dúvida, mas este tempo corre mais depressa que o tempo que temos para estar com quem gostamos.

Sophiamar disse...

Mano amigo, passei para te deixar um beijinho e um abraço. Estes textos são lindos! Releio-te com tanto gosto! Uma cocharrada de água fresca que me deixa regalada.

Obrigada pelas palavras sempre tão agradáveis.

Deixo-te um ramo de rosmaninho.

Tem uma boa semana!

Um Momento disse...

E assim se vai passando a vida... Temos que a aproveitar ao máximo...
Ela ás vezes pode ser tão curta...
Beijo de dia lindo
(*)

augustoM disse...

Já conhecia muitas histórias que falam das fontes da juventude, mas do envelhecimento foi a primeira vez. Talvez a água da fonte seja uma metáfora da vida, passa tão depressa que não damos por ela, parece que estivemos a dormir.
Um abraço. Augusto

foryou disse...

Avô, pai, filho... uma ternura este texto :)

Chahy disse...

Espero que este fim semana traga coisas boas! Mais um texto para nos deliciar-nos!

;)

Baby disse...

Porque a vida nos foge enquanto fechamos os olhos para dormir um pouco? Porque acordamos sempre tarde demais para agarrar a nossa hora?
Talvez tu nos digas porquê, na tua próxima história, nessas histórias que nos poem a pensar...

Rafeiro Perfumado disse...

Um autêntico episódio da 5ª dimensão, Cusco. Mas espero que ele encontre o filho, e tenha orgulho nele. Um abraço!

Gata Verde disse...

Devemos aproveitar cada instante da vida,mas infelizmente na prática não o fazemos!

De vez em quando é bom parar.Foi o que fiz nestes dias...parei e fui sentir a brisa da manhã numa aldeia fantástica algures por aí...

Alexandre disse...

Este teu texto é digno de uma antologia, tão bem escrito está! Dir-se-ia que o Chico da Matilde viveu em dimensões diferentes!

Já pensaste em reunires textos deste género para uma colectânea de contos do fantástico?

Abraços!!!!

Dulce disse...

Como tudo passa depressa!!!
Beijos para ti, amigo

Lusófona disse...

Fabuloso!! Adorei este conto! E olha que este "sono" acontece a muita gente...

Beijinhos e uma boa semana

Laura disse...

É mesmo, lembro-me da aldeia dos meus avós, de ser menina, de ter tantos tios e tias e ser feliz ali, de repente vejo-me mãe de gente grande, e os avós já sairam do cenário, os tios muitos já se foram também, e ficou a saudade que faz doer muito cá dentro. Ainda hoje de tarde me recostei e fiquei a pensar nas familias que se desfazem por desaparecerem da nossa vida, mas é assim...
Gostei de te ler ó Cusco, muitos jinhos para ti e para a familia todinha.

Carracinha linda! disse...

Deixo um beijo e votos de uma boa semana!

Isabel disse...

Que saudades das tuas histórias.
não sei como é mas saio sempre daqui comovida.
Escreves maravilhosamente bem e desta vez transportaste-me no meio caminho entre um conto de encantar e o alerta para não dormir demais sob pena de perder o melhor da vida.

Um abraço

Isabel

david santos disse...

É assim, Cusco!
A vida não pára. Não temos como fazê-la parar. Por isso, ainda que queiramos mais, temos que viver um dia em cada dia. Sem que para isso se tenha que tropeçar, vamos vivê-lo o melhor que podermos.
Abraços.

foryou disse...

E sabes que mais... voltei a lê-lo e voltei a sentir a mesma ternura :)

por uma lágrima disse...

E como é bom ler-te!
Beijo duma lágrima salgada

ooutroladodeumavida disse...

Cusco.
Gostei muito que tivesses passado no meu blog, outoladodeumavida, são histórias verídicas, que passam por mim, e eu sinto que tenho o direito de as partilhar, precisamente como o teu maravilhoso texto que nos mostra como a vida passa a correr e nós esquecemo-nos de viver.
Ainda ontem à noite, disse, estou com uma crise de identidade, sinto que o tempo passa tão depresa e eu ainda tenho tanta coisa para fazer, para viver, e sinto que não vou ter tempo para as fazer, para poder viver o que desejo. A vida é um momento, é uma pequena passagem, para outro lugar, que ninguem sabe onde é, se é bom ou mau, mas todos temos medo de ir. É o desconhecido. Levam-me a mal, quando alguem se suicida, e eu digo foi um acto de coragem, e as pessoas, chamam-me maluca, mas eu acho, que só uma pessoa que consegue ir para um sitio desconhecido, onde nada se sabe, tem que ser corajoso.
Gostei muito do teu blog, é demasiado interessante, fez-me ler, voltar a ler, e isso eu gosto muito, é como os livros quando os leio mais do que uma vez, é porque adorei.
Um abraço
Ana Borges

margusta disse...

Olá Cusco :)

Hoje sim..hoje passei,parei e bebi do teu texto! Fantástico!!!
Um conto que parece ser vivido em dimensões paralelas...o tempo...

Beijinhos meus!

amigona avó e a neta princesa disse...

Estou emocionada...que queres, sou assim! Beijo...

Bichodeconta disse...

Cuscar por aqui tem sempre como consequencia ficar embevecida, tal a beleza e a magia com que escreve, com que pinta as palavras e os sentimentos.. Um abraço, ell

Odele Souza disse...

Um belo texto. Gostei muito.

O sono às vezes é uma benção e quando vem profundo, nos anestesia da dor da vigília.

Fique com meu carinho.

Sophiamar disse...

Querido Mano Cusco!

Tenho estado à espera de um novo post mas outros afazeres terão certamente impedido que isso aconteça. Leio e releio com muito gosto tudo quanto escreves porque é muito bem escrito e porque é escrito pelo mano.
Quanto ao almoço, foi aí muito perto e estávamos para cima de duzentos. Gostei bastante mas a minha década é a de 60/70 pelo que colegas de ano não os tinha. Mas tu sabes como são as gentes sambrasenses e conversa não me faltou. Até porque familiares tinha muitos. Estava o Villas Boas,dois ex-presidentes de Câmara, os meus vizinhos do Alportel ( ahahahah) e muitos mais....
Gosteiiiiii!!!! Para quando um jantar dos alunos da tua década? Irei de certeza! Eu até acho que sou de todas as décadas!
Beijinhos

Isabel disse...

Acabaste-de me comover muito com o teu comentário lá no meu cantinho, deixei logo por baixo um comentário para ti.
Um abraço.

Isabel