22.2.07

Não vou escrever nada..

TEXTO RETIRADO!

18 comentários:

cusca disse...

Para além de seres cusco como eu, também és alentejano ?? mauuuu...eu tb sou :d
grande florbela espanca :D

blugaridades disse...

Que Florbela Espanca é de Vila Viçosa, eu sei mas não tinha conhecimento, de todo, e não me perdoo , que tivesse vivido no concelho de S. Brás de Alportel.
Onde fica esta casa "mano" sambrasense? Conta aí que eu tenho de lá ir, sem demora.
" Hoje não vou escrever nada..." e afinal... escreveste tanto. Se essas paredes falassem dir-nos-iam muito mais ainda. Mas tu mesmo não " escrevendo nada" dizes tanto. Mérito de quem lê muito, dom de quem apreende bem.E afinal despertaste a minha curiosidade a tal ponto que, no fim de semana,galgo a serra, e na vila, pergunto onde fica esta casa que foi albergue de poesia, alcova de amor ardente,ninho de paixão desenfreada daquela que morreu por amar tanto.
Beijinhos da "mana" Maria

Scarlett disse...

Duas Quadras

Não sei se tens reparado
Quando passeia, o luar
Pára sempre à tua porta
E encosta-se a chorar;

E eu que passo também
Na minha mágoa a cismar
Paro junto dele, e ficamos
Abraçados a chorar

De alguém que foi mais alto, foi maior do que os homens...

blugaridades disse...

Olá meu Cusco "mano"!

Tenho passado pela tal casa muitas vezes embora nunca me tivesse apercebido da existência da lápide. Esse mercado de que falas, conheço-o bem. Esse e outros. O nosso, o sambrasense, também era bom mas o defeito destes pequenos mercados é a proliferação de todo o género de "antiguidades" e o consequente desinteresse que ela origina. Almancil, Quelfes, Fuseta, Vila Real de Santo António têm mercados do mesmo género e não costumo faltar. No entanto, devido a uma costela alentejana, de um ascendente de antanho, procuro os mercados de Aquém-Tejo ( eu estou a sul, não esqueças) e o de Estremoz é um deles.Normalmente , almoço na Adega do Isaías e passo depois por Évora onde tenho grande parte do coração. Algarvia serrenha dedico uma paixão sem limite a este canto adorado, à beira-mar plantado, e pela serra que me viu nascer, nos fins de Agosto, na 2ªmetade do século XX.
Grata pela resposta, meu cusco inteligente, perspicaz, a "mana"( trata-a por tu, por favor) deixa-te um beijo. Dá outro à Cusquinha!

Baby disse...

Realmente...se tu não escrevendo nada, dizes coisas tão lindas, deve ser uma perdição ler-te quando escreves a sério...e eu adoro perder-me por entre palavras.
Da Florbela, que dizer? Descreveu tão intensamente o Amor e a Paixão,
que as suas palavras perdurarão para sempre nos locais onde viveu...

António disse...

Olá!
Escreveste pouco mas escreveste bem!
E recordar Florbela Espanca é, sem dúvida, recordar uma das nossas maiores poetisas, personalidade estranha e genial.

Obrigado pelo teu comentário ao post do electricista.
(Já estavas a imaginar a ninfomaníaca a aviar o padeiro e o leiteiro e o carteiro e todos os demais...ah ah ah)

Abraço

poca disse...

para qeum não ia escrever nada.. até acho que te jorrou inspiração..

e sim.. uma Senhora essa Florbela!

poca disse...

*quem

ΓΟΥΦΑΣ disse...

Hola fado !
greetings from Greece...

dulce disse...

Uma grande poetisa.
Beijinhos para ti

Lilis disse...

ai o amor ...o amor... o ódio dp do desamor... não sei onde fica... mas gostei do post e da dica...

bjus e até logo... pois deus há-de querer :)

dulce disse...

Fui apenas duas ou três vezes a São Brás de Alportel. A última há 2 anos, com a minha filha mais nova. Sabes que a minha mãe nasceu aí mas veio para Lisboa ainda menina. Antes dela falecer fui aí com ela mas só me lembro de ter estado junto a uma igreja cujo adro lateral se debruçava sobre um vale. Ainda devo ter por aqui a fotografia. Há dois anos fiz uma visita mais curta e acabei estranhamente a percorrer as áleas do cemitério. A minha mania de procurar as raízes a isso me levou. A minha filha até se arrepiava naquele cemitério completamente vazio :-)
Bem, já contei a minha vida quase toda .. desculpa, mas depois de ter escrito o primeiro comentário vieram-me à ideia estes pensamentos e resolvi partilhá-los.
Beijinhos mais uma vez.

GTL disse...

... e é amar-te assim perdidamente...

segurademim disse...

... há imagens que dispensam as palavras. levam-nos ao encontro da memória, do vivido, da emoção

há tantas casas desabitadas no país, como poderiam ser felizes alguns de nós se lhes fosse possibilitada a entrada nesses lugares singulares

bom fim-de-semana :)

Rafeiro Perfumado disse...

Não deveria ser "Uma das maiores poetisas...". Sim, sou picuinhas!

blugaridades disse...

E hoje foi dia de mercado. Comprei alguns produtos da terra e andei no meio das velharias.
Olhei a lápide. Lá estava ela!
Beijinhos

Cris disse...

E mais nada posso acrescentar...

Passa lá por Terra, só para veres quem nasceu... a minha poldrinha....

Beijinhos

Cris

adrianna disse...

Por vezes conseguimos dizer mais qdo ficamos calados! Com a escrita pode ser igual. Esta imangem vale por mil palavras, sabe-lo bem!
Gosto de poesia, de vez em qdo leio POEMAS de Florbela Espanca, mas são mto tristes e dramáticos.
Prefiro poetas mais positivos :-)